quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Vocação

É muito dificil saber qual a sua vocação. Exige um autoconhecimento e uma autocrítica enorme. E verdadeira. Não sei se eu sei a minha verdadeira vocação. Que para mim é diferente de dom. Não acredito muito em dom. Pelo menos em nascer com dom. Acredito em oportunidades.

Como diz Waldez Ludwing, Mozart é o que é por alguém um dia lhe apresentar o piano.

Comecei a ler o livro "Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes" de Augsuto Cury. Ganhei de um professor como prêmio de assiduidade na aula. Achei interessante o trecho "(...) Filhos brilhantes e alunos fascinantes não são sempre os bem comportados, os que não falham, não choram ou não tropeçam. Mas, aqueles que aprendem a desenvolver consciência crítica, decidir seus caminhos, trabalhar seus erros, construir tolerância (...)".

Não é ser saudosista, mas cadê aquela juventude questionadora que conquistou tanta coisa? Hoje é tudo rápido, pronto, sem pensar, sem dificuldades para conquistar.

"(...) Bons filhos se preparam para o sucesso, filhos fascinantes se preparam para enfrentar derrotas e frustações (...)".

Vejo nos pais uma responsabilidade muito grande nisso. "Podam" os sonhos ou as vocações dos filhos. Aconselham fazer um concurso público para viver as custas do governo fazendo todos os dias a mesma chatice com a segurança de não ser demitido ao invés de investir no que gostam.

Aconselham a continuar como escravos em empresas ao invés de investirem no empreendedorismo, achando que é mais seguro colocar a sua carreira nas mãos de seu chefe ao invés das suas.

De nada adianta a vocação sem oportunidade e um pouco de coragem.


"Corra riscos. Não corra perigo".

4 comentários:

Rodrigo disse...

"Tudo rápido, pronto, sem dificuldades para conquistar."

Não é mero acaso que é a geração do sedentarismo e do fast food.

Mas aqueles que se colocam "para a luta", no qual sabe aproveitar as oportunidades (e não vêem empecilhos), estes serão vencedores!

Já tenho interesse em ler este livro (li o Vendedor de Sonhos e possuo o "De medico e de louco todo mundo tem um pouco, deste mesmo autor), agora com esta propaganda, vou ter que concretizar este interesse! (hehe)

Abraço!

Bárbara Scheffer disse...

Bah comentei aqui semana passada e meu comentário foi excluído, aparentemente sem motivo, pois não ofendi ninguém, só dei minha opinião sobre o texto. Admirava mto seu blog e volte e meia vinha aqui dar uma espiada nos seus textos... depois dessa, não sei mais!

Tamy disse...

Bah, muito bom!

Posso dizer que nisso tive sorte, todas as vezes em que pedi permisão, ou pedi conselhos para a minha mãe, sobre fazer ou não um curso ela sempre me respondeu: " Ué se tu quer fazer este curso vai enfrente, tu só vai saber se gosta mesmo se tu tentar".
E pior que foi bem assim que escolhi minha profissão, fazendo cursos e percebendo doque eu realmente gostava!!!!!


Gostei muito do texto!!!
Abraço


Obs: Essa loca que tu nunca viu por aqui, é uma amiga do Rodrigo, encontrei teu blog no blog dele!!

Kaazinha Yamauchi disse...

Muito bom o blog, já ouvi falar desse livro muito bom, eu li do augusto cury '' nunca desista dos seus sonhos'' ah é a gente fica tão confuso o que a gente faz de melhor o que leva jeito para isso a real vocação, porque hoje em dia, a grande maioria quer fazer uma profissão por dinheiro e não por amor, parabéns pelo post.
Beijo káh