segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Caso Isabella 2

Pelo amor de Deus, não quero ser entendido como insensível, mas não poderia deixar de falar no que todo o Brasil está falando: o sequestro de Eloá.

Durante todos esses terríveis dias, fiquei pensando até que ponto a mídia ajuda ou atrapalha. Não acho que devemos voltar à Ditadura, que a mídia deva "abafar" a realidade, ou qualquer coisa do gênero, muito antes pelo contrário, estudo comunicação social e sou a favor de que a imprensa deva executar seu papel informativo. Mas fico pensando se a vida dessas pessoas não tivesse se tornado um Big Brother, não tivesse sido capa de jornais e abertura de telejornais todos os dias, a Polícia não tivesse tido mais tranquilidade para fazer o seu trabalho.

Não estou defendendo a Polícia, hein!? Aliás, acho que ela foi a principal responsável pela tragédia. Ela e as leis brasileiras, que proibem o órgão repressor de atirar em um sequestrador para salvar a vida de civis. Evidente que falar de fora sempre é mais cômodo. Talvez se a Polícia tivesse arriscado e algo desse errado (como no sequestro do ônibus), hoje estaríamos aqui dizendo que era melhor ter esperado.

Indo agora para o lado sentimental, este fato me fez refletir o que há um bom tempo venho pensando (inclusive já escrevi sobre por aqui): até que ponto as pessoas confundem amor com posse? Lindenberg disse que amava Eloá. Alguém discorda?

2 comentários:

Luzzi disse...

Cara, analisar o amor é muito complicado; mas com certeza quando isso se torna obsessivo a ponto de matar por amor só pode ser doença.

Bom, quanto a ação da polícia achei desastrosa. Neste tipo de situação tudo deve ser calculado e previsto, mas com rapidez. Ora, 5 dias pra negociar com o cara é muito tempo; eu estou com a S.W.A.T.

Ele já entrou alí sabendo que iria fazer.

Só Deuas mesmo para salvar a nossa nação.

Gabriel disse...

Bom, este já não é o primeiro caso que mostra a ineficiência de nossa polícia. Eu seria a favor de atirar no cara na primeira vez que ele apareceu, entretanto como aqui as leis quase sempre acabam beneficiando os bandidos...

Sobre a imprensa: é impressionante como ser o primeiro a dar a noticía se tornou uma obsessão, o muitas vezes acaba levando a dar notícias equivocadas...

Sobre sentimentos envolvidos: O ser humano, dos seres racionais, é o mais irracional que existe! Agimos sem pensar, é raro o homem que age com a razão.

O pior de tudo, é que passarão uma, duas semanas e nada mais se falará sobre o caso, comprovando que a repercussão não passou de uma disputa de pontos no ibope.