quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

100º post

Essa é a 100ª postagem neste blog. Para comemorar, vou escrever sobre um momento muito bacana da minha vida, que aconteceu quando eu tinha 14 anos, a velha e boa fase em que "éramos felizes e não sabíamos"...

Escolhi este vídeo com o gol de Anderson, na épica vitória do Grêmio sobre o Náutico na emocionante decisão da Série B de 2005, para ser trilha deste post. Assista antes de ler.



O ano era 2001. Após um ano inteiro de muito treino, chegou o grande dia: a final do campeonato. Jogava na escolinha de futebol do clube que eu torço. Nosso time começou mal, mas foi se reforçando e tornando-se forte cadidato ao título.

Nas arquibancadas, muitos pais e familiares. Nenhum meu. Melhor assim. Não precisava me exibir pra ninguém. Nem me preocupar. Sempre fui alto. Canhoto, minha posição era lateral-esquerdo. Irritado por ver a dificuldade de seu filho em passar por mim, lembro que um pai gritou: "Vai jogar basquete, ô 6!". Seis era o número da minha camiseta.

Durante todo o campeonato, não fiz nenhum gol. Nada absurdo para um lateral-esquerdo. Mais servia do que marcava. No entanto, algo melhor estava guardado...

Início de segundo tempo. 0 a 0 era o placar. Escanteio para o meu time. Sempre ficava na entrada da área, esperando o "rebote". Olho para o treinador e ele manda eu ir pra área. "Vai pra área, tu é alto, vai pra área!" gritou ele. Estranhei a decisão... mas fui!

A bola passou por todo mundo. Um zagueiro adversário cabeçeou para afastar, mas a bola quicou na minha frente. Com o pé direito (que não é o bom) esperei o tempo da bola e chutei com um semi-volêio. No ângulo. Golaço! A partir daí eu não vi mais nada. Todos do meu time caíram por cima de mim.

O objetivo agora era suportar a pressão do outro time, também muito bom. Conseguimos até os 40 minutos, quando em uma bola parada, eles empataram. A decisão foi para os pênaltis e acabamos perdendo.

Quem nos entregou a medalha de vice-campeões foi o então presidente do clube, em uma bonita cerimônia. Enquanto todos foram comemorar com seus parentes, fui pro vestiário, tomei banho e fui embora, a pé até a parada de ônibus, sozinho, feliz.

Um comentário:

Luzzi disse...

Cara, que bonito este momento... sim estou falando do gol e de voltar de buzão pra casa!!!

Quero ver tu fazer isso no sábado!!!