segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Mundo da Bola

O mundo futebolístico é mesmo muito engraçado. Cada vez mais encarado como um negócio, os dirigentes esquecem totalmente dos torcedores, que representam a paixão. Mas isso só acontece por que nós, torcedores movidos por paixão, deixamos. Adoramos uma falsidade. Veja o caso Roberto Carlos:

O lateral-esquerdo de 36 anos, principal contratação do Corinthians em 2010 e que está em todos os veículos de informação, foi projetado ao futebol nacional e internacional pelo Palmeiras. Fez história entre 1993 e 1995, fazendo parte de um excelente grupo. O Verdão, inclusive, convidou o atleta para realizar tratamento médico e de fisioterapia em 2008, quando Roberto disse: "Tudo que eu tenho devo ao Palmeiras".


Este ano, defenderá o seu maior rival. A frase na chegada? "A minha realidade é que sou corintiano". Indo ao encontro de minha tese que o último sempre é o melhor, o lateral continuou: "Já vivi momentos de emoção na minha vida, mas esse é único". O pior de tudo? Seis mil torcedores aplaudindo.


Dá pra piorar? Dá. Em agosto de 2009 o jogador disse que jogar no Santos (outro clube paulista) era um sonho de criança e gostaria de encerrar a carreira no clube da Vila Belmiro. "Quero encerrar o assunto Corinthians e pensar única e exclusivamente em jogar no Santos", afirmou Roberto Carlos.

Para o Corinthians? Um ótimo negócio! Apesar do alto investimento, renderá o dobro ou o triplo em patrocínios e venda da camiseta número 6. O que não aceito é ver uma fanática torcida aplaudindo e idolatrando uma pessoa que há alguns anos era vaiada.

Resta-me somente uma dúvida: saber se os dirigentes e jogadores acham que somos idiotas, ou se realmente somos.


Bom início de semana!

Um comentário:

Luzzi disse...

É cara, realmente somos idiotas!!!